Em tempos em que a economia do país não está em sua melhor fase — são 14 milhões de desempregados segundo o IBGE — é importante pensar em alternativas para evitar o temido desemprego. Nesse sentido, empreender é certamente uma saída válida, pois permite o investimento no próprio negócio. Mais do que isso: quando você compreende a relação entre empreendedorismo e desemprego, consegue oferecer soluções interessantes para as pessoas e cria condições para tomar as rédeas da sua vida financeira.

Quer saber mais? Então, acompanhe este artigo até o final e conheça mais vantagens de empreender.

Oportunidade

A primeira coisa que um candidato a empreendedor precisa ter em mente é o valor do conceito de oportunidade. É ele quem permite a inovação mesmo em mercados já estabelecidos. Quando você começa a raciocinar de maneira a procurar por oportunidades nas situações mais triviais do dia a dia, já está dando os primeiros passos para o empreendedorismo.

Isso porque as ideias interessantes surgem assim. É o caso de soluções como a Netflix, por exemplo, que conseguiu espaço com serviço de streaming a preços populares mesmo num mercado milionário como o dos cinemas.

Em momentos de crise é que as oportunidades aparecem com maior clareza. Com o desemprego em alta, as empresas contratam menos e os consumidores passam a evitar soluções mais caras. É a brecha para o surgimento de novas ideias.

Liberdade

Nem sempre trabalhar dentro de uma empresa permite que o profissional coloque em prática todos os seus conhecimentos e habilidades. É comum ver casos em que as companhias pagam muito para um especialista se concentrar numa única área e pouco para os novatos se dividirem entre inúmeras tarefas.

Nesses casos, a chamada “demanda do mercado” pode ser uma verdadeira cilada que só traz benefícios para as grandes empresas.

Sendo assim, trabalhar por conta própria pode ser o caminho mais satisfatório para quem entra no mercado com boas ideias. Montando seu próprio negócio você pode inovar, fugindo dos padrões adotados e muitas vezes ineficazes de empresas maiores.

Nese ponto, é importante voltar ao conceito de oportunidade e entender o momento de crise como uma fase em que o mercado exige adaptação das empresas para continuarem em atividade, o que pode representar um problema para organizações mais tradicionais.

Inovação

É natural que as empresas mais tradicionais sejam também mais conservadoras em relação à inovação. Isso porque, para que ela surja é preciso, fundamentalmente, que exista uma cultura voltada à inovação em seu ambiente interno, o que costuma contrastar com estruturas já estabelecidas no mercado e que precisam manter o seu padrão de qualidade.

É por esse motivo que as startups têm tido grande sucesso nos últimos anos. Empresas como o Uber, o Guia Bolso e o Nubank, têm faturado cada vez mais por conta de seus métodos inovadores de trabalho que geram soluções mais práticas e econômicas para o consumidor, algo que faz toda a diferença em momentos de dificuldade econômica.

Num cenário de empreendedorismo e desemprego é preciso estar atento às oportunidades que surgem. Compartilhe essas ideias com seus amigos nas redes sociais.